A ORCCA não realiza nenhum desses procedimentos abaixo.

Modalidade terapêutica mais antiga e a mais utilizada no tratamento do câncer, pode proporcionar a cura, principalmente quando realizada em estados iniciais.

O tratamento cirúrgico requer habilidade e conhecimento por parte dos profissionais que se propõem ao tratamento dos pacientes com esta enfermidade, pois cuidados especiais deverão ser sempre utilizados quando se objetiva extirpar o câncer.

Diferente dos tumores e outras condições benignas, o Câncer deve ser tratado de forma diferenciada, pois suas células podem se disseminar para outros órgãos ou mesmo voltar a crescer no local inicialmente acometido. Logo, tenha certeza de que seu médico apresenta conhecimento específico para atuar no tratamento de seu problema.

Em caso de dúvidas ou mais informações entre em contato com a ORCCA!
Em muitos casos, após a remoção cirúrgica do tumor, é necessário o tratamento complementar com quimioterapia e radioterapia para ajudar a destruir células do câncer que, por ventura, tenham escapado do tratamento cirúrgico.

Aqueles pacientes que foram submetidos a tratamento quimioterápico e/ou radioterápico prévios, mesmo com o desaparecimento macroscópico do tumor, ainda podem necessitar de cirurgia. Portanto, fique atento às orientações médicas!

A Quimioterapia é uma modalidade de tratamento sistêmico do câncer que lança mão de agentes anti-neoplásicos, frequentemente chamados de “quimio” ou “aplicação”, que eliminam preferencialmente as células em rápida multiplicação, como é o caso das células do câncer. Cada agente quimioterápico tem um diferente mecanismo de ação sobre as células e, consequentemente, um perfil de efeitos colaterais próprios.

Para cada tipo de câncer e estado, isto é se localizado ou disseminado, é indicado um esquema terapêutico diferente. A ORCCA não disponibiliza tratamento quimioterápico, e sim suporte complementar ao tratamento, essencial para se obter os melhores resultados.

A quimioterapia pode ser utilizada com diferentes finalidades:

  • Neo-adjuvante – (Prévia) redução do tumor para facilitar a cirurgia;
  • Adjuvante – prevenção das recaídas após cirurgia ou aumento da eficácia da radioterapia;
  • Curativa – eliminação completa do tumor;
  • Paliativa – controle do tumor e de seus sintomas.

A Radioterapia é o tratamento realizado com irradiação ionizante (exemplo: RX) que tem como objetivo principal impedir o avanço de tumores e/ou a destruição total do mesmo. Ela pode ser usada em conjunto com a quimioterapia dependendo do tipo do tumor e de acordo com o tratamento definido pelo médico, a fim de obter melhores resultados.

O tratamento de radioterapia é indolor, e dependendo da região a ser tratada pode ou não ocasionar efeitos colaterais.

O tratamento radioterápico é realizado seguindo algumas etapas, que compreendem a análise cuidadosa do tipo de doença e do local acometido pelo câncer.

Há duas maneiras de utilizar radiação contra o câncer:

  • Radioterapia externa ou teleterapia: Aplicações diárias de radiação emitidas por um aparelho específico. (Acelerador Linear).
  • Braquiterapia: Tratamento através de material radioativo inseridos próximo ao tumor onde será liberada a radiação.

A ORCCA não disponibiliza tratamento radioterápico, mas sim suporte complementar ao tratamento, essencial para se obter os melhores resultados.

É uma modalidade terapêutica, frequentemente utilizada em pacientes com câncer de mama e próstata. Utiliza-se de medicamentos que poderão ser oferecidos por via oral, subcutâneo e intramuscular. A hormonioterapia não é um tipo de quimioterapia.

Os medicamentos utilizados nessa modalidade terapêutica podem bloquear a produção e/ou a ação dos hormônios sobre as células tumorais. Nem todos os pacientes podem receber ou apresentam indicação deste tipo de tratamento.